INFRAESTRUTURA

Para conquistarmos a cidade que queremos,
temos que começar a planejar agora o futuro de Porto Alegre.
Veja abaixo importantes questões que precisam ser pensadas para que seja definido o desenvolvimento da cidade

 

Planejamento público x mercado imobiliário

A principal questão controversa em relação à Porto Alegre do futuro – tomando como referência o ano de 2040 – é se ela será o desejado pelo planejamento urbano ou a conformada pelo mercado imobiliário.

O planejamento urbano ainda tenta salvar o centro tradicional, porém as forças privadas caminham em outros sentidos, seja dentro de Porto Alegre como na Região Metropolitana.

A Região Metropolitana será conformada pelos investimentos públicos ou pelos grandes empreendimentos privados e mistos, localizados fora de Porto Alegre?

Porto Alegre mono ou polinucleada?

O Plano Diretor de Porto Alegre (PDDU) mantém a estrutura monocentralizada, em torno do centro tradicional, alimentado por uma rede radial de vias estruturais.

No entanto, o mercado imobiliário vem desenvolvendo novos núcleos concentradores de trabalho que irão concorrer com o centro tradicional como polo de emprego e atração de viagens.

O desenvolvimento de um novo centro, em Humaitá, em torno da nova arena do Grêmio, poderá criar um novo polo de empregos, dentro do conceito de cidade compacta, com maior aproximação da moradia e trabalho.

Estaria ainda a meio caminho da região norte, principal área dormitório dos trabalhadores de Porto Alegre.


Centro submetropolitano

A região norte se organizará como um centro submetropolitano, invertendo o fluxo hoje predominante que leva os seus moradores a trabalhar em Porto Alegre?


O futuro da indústria gaúcha

Há duas dúvidas fundamentais em relação ao futuro da indústria na Região Metropolitana de Porto Alegre:

Os grandes grupos empresariais, como a Braskem em Triunfo e a GM em Gravataí, farão grandes investimentos na expansão dos seus empreendimentos?

Os polos industriais de Novo Hamburgo, São Leopoldo e outros resistirão ao processo de desindustrialização provocada pela concorrência externa?

Por outro lado:

  • Não há perspectivas de expansão da refinaria em Canoas, uma vez que a prioridade da Petrobras é pelas refinarias “premium”.


Localização das vilas

A dinâmica do mercado imobiliário promovendo a valorização sucessiva das áreas irá tomar áreas ocupadas por vilas (denominação gaúcha para as favelas), empurrando a população mais pobre para as periferias cada vez mais distantes, ampliando os deslocamentos:

  • A interferência pública promovendo desapropriações e reurbanização irá preservar a localização das vilas, melhorando as condições de vida da sua população?
  • Não haverá interferência pública e as vilas, localizadas mais próximas do centro, tenderão a ser substituídas por uma ocupação de maior renda?


Viabilização do polo tecnológico

Porto Alegre foi escolhida para sede da CIETEC, empresa federal criada para a produção do chip nacional.

A sua implantação está atrasada e corre o risco de fracassar, diante dos sucessivos avanços tecnológicos na área, que tornam rapidamente obsoletos os investimentos, requerendo constante renovação.

A sua viabilização poderá acelerar o polo tecnológico de Porto Alegre. Ao contrário, a sua frustração comprometerá o projeto previsto pelo Plano Diretor.