Concurso


O Concurso de Ideias para Brasília contou com diversos participantes, que ofereceram soluções criativas para a melhoria da infraestrutura de sua cidade. O Sinaenco acredita que é pensando antes que se constrói a cidade do futuro. Obrigada a todos aqueles que, a sua maneira, estão ajudando a planejar a Brasília que queremos!

Confira abaixo as ideias vencedoras:

Votação Online

   

Fernando Maia Jr., 30 anos
Geólogo


Modernização e replanejamento do serviço comercial nos setores hoteleiros

Os setores hoteleiros de Brasília não oferecem bom serviço comercial aos hóspedes e são bastante perigosos à noite. A ocupação comercial destes setores deve ser reavaliada e novas regras podem ser implantadas. Além da necessidade de melhora em relação ao paisagismo e segurança, a parte comercial dos setores hoteleiros poderá ser revista para tornar-se uma referência de lugar a se visitar, não só pelos hóspedes, como também pelos locais. Além de cafés, bares e restaurantes, podem ser pensados espaços para lojas de apoio e conveniência (24h) e até mesmo pequenos espaços culturais que podem conter lugar para apresentações musicais de menor porte, exposições e até mesmo um pequeno cinema, como pequenos cinemas de bairro que existem no Rio de Janeiro, tudo previsto para funcionar pelo menos até a meia-noite. Além de adaptar os prédios e estruturas já existentes a esta nova concepção, pode ser exigido que os pavimentos térreos de novos prédios tragam contribuição para a efetivação deste cenário. Esta nova adequação não feriria a setorização planejada de Brasília, pois a concepção de um setor hoteleiro pode conter a presença de um apoio comercial inteligente e de entretenimento para os visitantes, sem exigir destes longos deslocamentos. A abertura destas áreas aos locais, e até o estímulo para que os locais também usufruam destes espaços, é conforme com a necessidade de busca de recursos por parte do comércio e com a proposta de intercâmbio e interação entre locais e visitantes.

“Cresci em Brasília e com o passar dos anos fui percebendo que a cidade não se preparou para ter uma rede hoteleira compatível com o demanda de hoje. Não só faltou investimento em infraestrutura, como também na ampliação dos serviços para quem visita a cidade. Como solução é necessário um novo planejamento urbano e arquitetônico que contribua com a criação de novos empreendimentos. Pensar em um novo paisagismo para a cidade e também uma maior estrutura de restaurantes, bares, lojas de conveniência e novos locais que possam trazer novos negócios nas áreas dos hoteis.”






Votação da Comissão Técnica

   

Natália Pianegonda, 27 anos
Jornalista e estudante de arquitetura e urbanismo


Resíduo zero e horta comunitária

Reduzir a quantidade de resíduos encaminhados para aterros é algo primordial, considerando que a coleta seletiva na cidade ainda é muito precária e a conscientização das pessoas sobre a destinação do lixo é pequena. Implementar um programa neste sentido significaria uma mudança de cultura. É preciso criar um modelo para que se encaminhe o lixo seco para cooperativas de reciclagem. Já o orgânico pode ser aproveitado em hortas comunitárias, organizadas por condomínios ou comunidades de regiões administrativas, em áreas públicas. A ação exige planejamento e uma forte campanha, mas que é possível com a definição do tema como política pública e engajamento de conselhos e lideranças comunitárias. O arquivo anexado é de uma iniciativa implantada em Maringá (PR), que apresenta o modelo de projeto para implantação das horas comunitárias.

“Esse projeto surgiu quando percebi a quantidade de resíduos que é produzida no meu condomínio. Pelos cálculos que fiz, se todos os prédios praticassem o descarte seletivo e fosse criada uma área de compostagem, juntamente com uma horta, o lixo produzido por três mil pessoas deixaria de ser enviado diretamente para aterros. Para chegarmos ao resíduo zero, é necessário investimento em áreas voltadas à coleta seletiva e à reciclagem e também um trabalho forte e permanente de conscientização das pessoas sobre a importância de separa o lixo.”