INFRAESTRUTURA

Para conquistarmos a cidade que queremos,
temos que começar a planejar agora o futuro de Brasília. Veja abaixo importantes questões que precisam ser pensadas para que seja definido o desenvolvimento da cidade.

Para o planejamento de longo prazo de Brasília o Governo atual contratou a Jurong, uma consultoria internacional que já prestou serviços a outros Estados Brasileiros para a proposta da visão de Brasília 2060.

A proposta é de descentralizar a Brasília metrópole para a organização de uma mega-metrópole, em torno de 4 eixos:

  • Aeroporto-cidade
  • Polo industrial
  • Polo logístico
  • Centro financeiro internacional


Capital federal ou metrópole indiferenciada?

As propostas da Brasília 2060 retomam o conceito de que a cidade precisa ter um suporte econômico próprio, uma base industrial, além da condição de capital federal.

A discussão prévia é sobre o que se quer da Brasília do futuro. Seria a sua preservação como capital federal? Ou uma mega metrópole diversificada, com população e atividades concorrendo com as funções de capital federal?


Aeroporto-cidade

A Jurong repete em Brasília a mesma proposta feita para Belo Horizonte de uma aerotrópolis.

A primeira indagação é se no Brasil há lugar para mais de duas aerotrópolis. Mesmo havendo, onde estariam as prioridades de localização?

O Brasil já conta com uma aerotrópolis, embora não como produto de um planejamento prévio: Viracopos e o parque tecnológico-industrial da região metropolitana de Campinas.

Está em andamento a implantação de uma aerotrópolis em Belo Horizonte, ancorada no aeroporto internacional de Confins.

Junto ao aeroporto internacional de Natal, no município vizinho de São Gonçalo do Amarante, está prevista uma cidade dentro desse conceito.

Condição concorrencial

Pode-se considerar que tanto Viracopos, como São Gonçalo do Amarante estão distantes, não concorrendo com a aerotrópolis de Brasilia.

Belo Horizonte, porém, está na mesma região e concorreria com Brasília para a instalação das mesmas empresas e cargas. A capital mineira já está mais avançada com o projeto, contando ainda com a vantagem de ter um aeroporto pronto.

Se o projeto de BH se efetivar, haverá espaço para um aeroporto-cidade em Brasília, cujo aeroporto precisa ainda ser construído e que só terá condições de operar plenamente após o encerramento da concessão do aeroporto atual, daqui a 25 anos?

Polo industrial

Qual será a característica da industrialização de Brasília?

Dificilmente será um indústria pesada de âmbito internacional ou nacional. Poderá ter uma indústria de bens de consumo tradicionais para atender ao mercado regional.

Mesmo estas (principalmente vestuário) estão altamente globalizadas, cabendo indagar se ainda há espaços para uma indústria de bens de consumo em Brasília.

A alternativa moderna está na indústria de base tecnológica.Tem ou terá Brasília um ambiente favorável às inovações tecnológicas para dar suporte a sua indústria?

A industrialização não é mais uma questão de investimentos, mas da condição concorrencial mundial que envolve diversos fatores, sendo uma delas é o “custo Brasil”: haverá condições de uma indústria competitiva em Brasília com o custo Brasil? Se este for reduzido, como ficará a sua competitividade em relação a outras localidades brasileiras?

 

Polo Logístico

Brasília tem uma posição central em relação ao território nacional, porém para preservar a sua condição de capital federal, não foram criadas facilidades ou condições para a implantação de um polo logístico, com veículos pesados circulando por ela.

Dadas facilidades poderiam ser implantados centros de distribuição, para a transferência de cargas.

A questão é se isso prejudicará ou não as funções de capital federal.


Centro Financeiro Internacional

Terá condições de concorrer com o centro financeiro internacional que já se instalou em São Paulo e está em pleno desenvolvimento? Brasília teria ainda que disputar com o Rio de Janeiro.

O fato de estar na capital federal, onde está o Banco Central, favoreceria Brasília ou isso seria pouco relevante no mundo atual, lembrando que Nova York não está na capital federal?

 

Evolução do plano piloto

Alternativas de edificação

Com o esgotamento das áreas para a edificação de novos prédios, o que fará o setor imobiliário para manter as suas atividades:

Migrarão para outras cidades brasileiras ou mesmo do exterior?

Migrarão para as cidades satélites ou para o entorno, pressionando para eventuais liberações de uso e ocupação?

Pressionarão para abertura de novas áreas permitidas para a verticalização?


Mobilidade urbana

O modelo original da cidade compacta de Brasília fracassou, levando a uma grande movimentação de forma motorizada:

Brasília enfrenta congestionamentos nas suas vias no horário de pico, porém o extravasamento é rápido, dada a capacidade e formato do seu sistema viário.

O volume de semáforos é ainda relativamente pequeno.

Os sistemas de transporte coletivo não propiciam a substituição do uso do carro.

O problema maior, dentro do Plano Piloto, não está na movimentação, porém no estacionamento.



Estacionamentos

O sucessivo aumento da frota de automóveis requer áreas adicionais para o estacionamento dos veículos, tanto na origem – em geral residencial – como no destino – local de trabalho, compras e obtenção de serviços.

Solução sempre aventada, porém de efeitos restritos dado o custo e disponibilidade de área, são as garagens subterrâneas.

Quais são as demais alternativas para estacionar a frota adicional?