Concurso


O Concurso de Ideias para Belo Horizonte contou com mais de 60 participantes, que ofereceram soluções criativas para a melhoria da infraestrutura de sua cidade. O Sinaenco acredita que é pensando antes que se constrói a cidade do futuro. Obrigada a todos aqueles que, a sua maneira, estão ajudando a planejar a Belo Horizonte que queremos!

Confira abaixo as ideias vencedoras:

Votação Online

   

Márcia Maria de Castro, psicóloga


Arte nos Postes

Sempre imaginei como Belo Horizonte ficaria linda se a prefeitura criasse um projeto de lei, convocando os artistas da cidade a se cadastrarem para divulgar sua arte através dos postes de rua. Imagine que lindo uma cidade onde os seus postes de luz fossem decorados com lindas pinturas? Esta é a minha ideia para uma cidade mais linda e agradável.

“Creio que a base da base para o desenvolvimento de uma cidade é o homem. Por este motivo, ele nunca deve ser negligenciado quando pensarmos em qualquer estrutura para o desenvolvimento da cidade. Tendo a oportunidade de contemplar no seu dia a dia as obras de arte nos postes causará um impacto em sua sensibilidade, que de alguma forma poderá refletir de forma positiva em sua relação/interação com as pessoas/ambiente. Pessoas mais sensíveis são mais corteses, educadas, compreensivas, alegres e lidam melhor com as pressões diárias de uma grande cidade, como o trânsito intenso”






Votação da Comissão Técnica

   

Bruno Simões,
estudante


Um novo centro para uma nova BH

O centro de Belo Horizonte foi planejado para ser o centro econômico e financeiro da cidade. Mas infelizmente, essa região vital para nossa cidade apresenta áreas degradadas e pouco valorizadas, como o entorno da Rodoviária. Uma região com um tremendo potencial de desenvolvimento, mas que não recebe a devida atenção. A solução é desenvolver uma Operação Urbana Consorciada, que revitalize toda o Centro de BH. Nesse modelo de desenvolvimento, o Poder Público e a Iniciativa Privada se unem em prol de uma cidade mais moderna e humana para todos. O projeto inclui a reforma das calçadas, revitalização das fachadas, nova sinalização de trânsito, nova arborização e a priorização do transporte coletivo, com a implantação de faixas exclusivas para ônibus e a construção de um VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) interligando os principais pontos da Área Central. A idéia é transformar o Centro no novo polo de desenvolvimento da cidade, incentivando a instalação de centros culturais, gastronômicos e também voltados para a área de tecnologia e negócios. Um projeto semelhante a esse está em execução na região portuária do Rio (projeto Porto Maravilha) e já foi implantado com sucesso em várias partes do mundo e tem tudo para dar certo em BH.

“O centro de Belo Horizonte é a área onde a degradação é mais evidente e justamente aquela que deveria ser a parte mais valorizada da cidade. Próximo à rodoviária é a região que eu vejo com mais potencial de crescimento, por estar ainda pouco verticalizada. Em 2040, eu penso em uma Belo Horizonte com prédios modernos, mas com respeito aos prédios antigos, que fazem parte da nossa história.”



Votação da Comissão Técnica

   

Nildeu Guedes da Mata e Silva, Economista


Corredores de Vias Expressas

Transformar as vias de sentido único, notadamente aquelas permitem o escoamento sentido centro bairro, em corredores de vias expressas. Tais vias obterão tratamento específico, quais sejam: não permissão para estacionamento; piso asfáltico devidamente sinalizado e sem buracos e intervenções costumeiras; sinalização eficaz e de fácil visualização para a população; setores de maior densidade populacional dotada de passarelas; sem lombadas, porém com velocidade controlada mecânica ou através de presença física; sinalização sincronizada mantendo a velocidade da via constante; cercado (padrão) em trechos de possíveis transgressões de pedestres e condutores de veículos; e outros possíveis cuidados para resguardar vidas e promover a cultura da educação no trânsito. Objetivo: Facilitar e permitir o escoamento rápido e seguro, notadamente do centro para os bairros. Atuar como via auxiliar das grandes vias (avenidas). A ênfase para o sentido centro/bairro induziria a utilização dos instrumentos públicos de transportes ao mesmo tempo em que permitiria ao cidadão seu retorno ao lar em situação de rapidez e conforto; partindo do pressuposto que os instrumentos públicos ofertem o desejado conforto.

“A minha ideia partiu de experiências vistas em outras cidades do mundo, que adotam estratégias semelhantes para facilitar o escoamento do trânsito. Sobre participar desse concurso, eu acho maravilhoso, pois é uma forma de envolver não somente técnicos, mas toda a sociedade na discussão dos problemas da cidade. Quem me deu a dica para contribuir foi minha filha, que mora nos Estados Unidos. Lá é muito comum os cidadãos proporem soluções para os governantes.”